lb fr pt en
Hierdebréiwer & Messagen . Lettres pastorales & messages  
18 de Fevereiro de 2018

Vós sois importantes!

Carta Pastoral para a Quaresma de 2018

Amados irmãos e irmãs,

Vós sois importantes! Vós sois importantes para aqueles que estão perto de vós, para as vossas famílias, para a nossa sociedade, para a nossa Igreja e, acima de tudo, para Deus.
Durante este tempo da Quaresma, queremos lembrar-vos novamente, com grande humildade, que Deus nos aceita tal como somos, e que nos anima a caminhar com o coração cheio de alegria. Deus confia em nós e diz-nos, como Jesus disse aos discípulos: «Ide e anunciai a Boa Nova». Deus não diz: "Esperai e vede o que acontece… Eu prefiro que não façais nada”. Não, Deus conta connosco, tal como nós também podemos contar sempre com Ele. Aproveitemos este tempo de preparação para a Páscoa para responder a este convite como cristãos empenhados no mundo de hoje. Ser importante significa ser responsável pelo nosso próximo e pelos mais carenciados.

Vós sois importantes para os vossos cônjuges, famílias e filhos. Eles precisam de vós, tal como vós precisais deles. Não deixeis que as vossas famílias sejam relegadas para segundo plano, depois da carreira profissional, do lazer ou até do telefone portátil. A família continua a ser a pedra angular da nossa existência e da nossa sociedade. Para aprofundar este tema, gostaria de vos convidar, seguindo o Papa Francisco, a participarem no Encontro Mundial das Famílias, em Agosto, na Irlanda, e a abordar nos próximos meses a mensagem da Encíclica Amoris Laetitia, nas vossas paróquias.

Vós sois importantes para quem precisa de vós, para quem conta convosco, e para quem em vós confia. Deixai-vos tocar por este apelo, dedicai o vosso tempo a procurar a paz interior para que possais ouvir o grito que muitas vezes não se consegue escutar. Perguntem a vós mesmos: «Para quem posso ser importante? Quem posso acompanhar e apoiar neste momento difícil que atravessa?»
Abramos os olhos e observemos à nossa volta. O nosso lugar é ao lado dos que estão angustiados. Em casa, perto de uma pessoa que está sozinha, no hospital, ao lado de um doente, ou num lar para refugiados, onde muitas famílias tentam reconstruir as suas vidas. Para viver a Boa Nova de forma autêntica, temos que ir, com o Papa Francisco e a Igreja universal, ao encontro das periferias e colocá-las no centro do nosso mundo.
Somos todos convidados a ir ao encontro dos desertos das suas vidas e conduzi-los à fonte do amor e da esperança.
Durante este período da Quaresma, gostaria de incentivar-vos a apoiar os projectos «partage.lu», uma obra da Igreja que foi criada há mais de 50 anos sob o nome «Bridderlech Delen» e que ainda hoje é pelo menos tão indispensável como na altura em que foi criada. Os colaboradores de «partage.lu», «Reech eng Hand», «Caritas», «Missio» e muitas outras organizações sócio caritativas estão ao serviço das periferias. Estas obras precisam do nosso apoio, porque as pessoas que ajudam também contam com o nosso apoio.

Vós sois importantes para a nossa Igreja. A nossa arquidiocese está a passar por grandes mudanças que preocupam muitas pessoas, o que é compreensível. Nestes últimos três anos ocorreram muitas mudanças. Foram tempos, sem dúvida, difíceis para a nossa arquidiocese, e também para a cúria diocesana, tempos de ruptura na história da igreja local, mas que nem por isso nos devem fazer duvidar do futuro. Hoje temos que reconstruir a nossa Igreja num contexto diferente. A catequese na paróquia, com 9.000 crianças inscritas, é uma das áreas que mais precisamos frutificar.
A Igreja precisa de cada um de nós. E se cada um contribuir para a construção deste edifício, então a minha preocupação com o futuro da Igreja que se reúne no Luxemburgo vai ser menos importante. A condição sine qua non é que possamos conceber a Igreja como uma comunidade viva de crentes, como povo de Deus, e para dizê-lo com São Paulo, como o corpo de Cristo, no qual todos formamos uma unidade, pelo Espírito Santo.
Só assim poderemos superar as nossas diferenças, tornarmo-nos mais credíveis e poder trazer novas pessoas, sobretudo os jovens que estão fora dos muros das nossas igrejas, a aderirem à mensagem de Cristo.

É especialmente nas 33 novas paróquias que vós sois importantes, bem como nos novos conselhos pastorais, nos comités de gestão do Fundo de Gestão de Edifícios Religiosos e nas novas estruturas autárquicas das fábricas das igrejas. O voluntariado é mais do que nunca a espinha dorsal da nossa arquidiocese. Este compromisso voluntário merece ser respeitado e reconhecido. Um caloroso agradecimento a todos os membros dos conselhos paroquiais e fábricas de igrejas, sacristãos, leitores, acólitos, organistas, cantores, todos os que se dedicam à limpeza e à decoração das nossas igrejas, e a todos os voluntários que muitas vezes trabalham na sombra, sem que ninguém saiba. Temos o dever de zelar para que a nossa Igreja permaneça viva, que esteja próxima das pessoas, e em linha com a nossa sociedade. Olhamos o passado com gratidão, e estamos optimistas em relação ao futuro.

Queridos cristãos e cristãs, aproveitemos a Quaresma para através da oração mantermos uma relação renovada e autêntica com Cristo. Temos a felicidade de Deus nos reconciliar com Ele no sacramento da confissão. Também temos a oportunidade de encontrá-lo no sacramento da Eucaristia, deixá-lo renovar as nossas vidas e convertermo-nos, como diz o Evangelho de São Marcos no primeiro domingo da Quaresma. Ao ler a Bíblia regularmente, podemos prepararmo-nos para a Semana Santa e para a Páscoa, onde celebramos o coração da nossa fé: a morte e a ressurreição de Jesus Cristo. É o fundamento da nossa esperança, que está no centro de cada celebração eucarística. Se vivermos da fé, podemos olhar para o futuro, onde Cristo já está à nossa espera.
O jejum e a renúncia quaresmal às sextas-feiras vão ajudar-nos. Não é para ficarmos tristes, mas para nos libertar do supérfluo. “Quando jejuardes não ponhais um ar triste”, diz o Evangelho. A renúncia ajuda-nos a discernir o que é verdadeiramente importante na nossa vida, abre-nos a Deus, e ajuda-nos a estar em harmonia com a Criação.

Sim, vós sois importantes para a nossa sociedade e para o meio-ambiente: não tenhamos medo de nos empenharmos, enquanto cristãos, para o bem da sociedade e do homem, na defesa dos valores cristãos, na coesão social, no meio-ambiente e na defesa da natureza. A Encíclica Laudauto Si, pode ser o nosso guia e a campanha «Autofasten» um propósito concreto para a nossa Quaresma.
Se é verdade, como diz uma oração, que Cristo não tem outras mãos senão as nossas para  hoje  fazer o seu trabalho, não tem outros pés senão os nossos para guiar os homens no seu caminho, e só tem os nossos lábios para o anunciarmos, então sabemos qual é a  nossa  missão.

Que Deus vos cumule de bênçãos neste tempo de Quaresma que agora começa.

Luxemburgo, Festa da Apresentação do Senhor no Templo, 2 de Fevereiro de 2018

+ Jean-Claude Hollerich
Arcebispo do Luxemburgo

Carta Pastoral para a Quaresma de 2018
 
Ä e r z b i s t u m    L ë t z e b u e r g   .   A r c h e v ê c h é   d e   L u x e m b o u r g    .   
YouTube
SoundCloud
Twitter
Instagram
Facebook
WhatsApp 352 691 12 97 76
Service Kommunikatioun a Press . Service Communication et Presse
Äerzbistum Lëtzebuerg . Archevêché de Luxembourg

© Verschidde Rechter reservéiert . Certains droits réservés
Dateschutz . Protection des données
Ëmweltschutz . Protection de l'environnement
5 avenue Marie-Thérèse
Bâtiment H, 1er Étage
L-2132 Luxembourg
+352 44 74 34 01
com cathol.lu