lb fr pt en
Sprangprëssessioun . Procession dansante  
26 de Janeiro de 2016

A procissão dançante

A história, a melodia, a dança em vídeo

As peregrinações ao túmulo de St. Willibrord, fundador da Abadia d’Echternach, começaram imediatamente após a morte do missionário anglo-saxónico. O primeiro documento em que refere a presença de peregrinos dançantes em Echternach, os chamados “Santos dançantes”, remonta a 1497. Alguns referem que o início da “Procissão Dançante” seu deu à época da cristianização.

Actualmente, é dado como adquirido que a dança apareceu durante algumas procissões, ditas “comuns”. No Pentecostes, as paróquias que faziam parte da Abadia eram convidadas a trayerem as suas oferendas (trigo, cera, dinheiro, etc) empunhando cruzes e estandartes. Um texto do séc. XVI menciona claramente que um grupo de peregrinos de Waxweiler (na Alemanha) realizou uma procissão dançante em Echternach. Outros grupos de peregrinos seguiram o exemplo.

Durante a procissão, os peregrinos deslocam-se aos saltos, apoiados ora numa perna, ora noutra, acompanhados por uma melodia muito simples, que podia ser tocada pelos os instrumentos da região: a flauta, o acordeão e os tambores. Com o passar do tempo a melodia tem-se enriquecido, e hoje em dia parece uma polca (dança de origem polaca).

A “Procissão Dançante” revela a alegria de viver de quem participa na festa, mas é também uma forma de oração fervorosa de homens que experimentaram o sofrimento. S. Willibrord era conhecido pelos seus milagres nos casos de epilepsia. Há quem dia que a dança imita o comportamento de um epiléptico, e que era desta forma que os peregrinos pediam a intercessão do santo para se protegeram da doença.

Na terça-feira de Pentecostes, depois da missa pontifical na Basílica, o arcebispo do Luxemburgo, desde o cimo da escadaria do pátio de honra da antiga abadia, dá as boas vindas aos peregrinos. Os cânticos abrem a procissão, acompanhados de invocações a S. Willibrord. Depois juntam-se ao cortejo os peregrinos vindos dos Países Baixos, do Baixo Reno e de outras regiões onde o santo é venerado.
A procissão percorre a cidade, depois entra na igreja rumo à cripta, onde está o túmulo do santo. As danças acabam já no exterior da Basílica. A procissão encerra com a eucaristia.

Milhares de pessoas assistem todos os anos à procissão, que conta com cerca de 1.500 músicos, e entre 8 a 9.000 dançarinos.

Veja aqui o vídeo da Unesco que declarou a “Procissão Dançante de Echternach” como Património Imaterial da Humanidade

 
Ä e r z b i s t u m    L ë t z e b u e r g   .   A r c h e v ê c h é   d e   L u x e m b o u r g    .   
YouTube
SoundCloud
Twitter
Instagram
Facebook
Flickr
WhatsApp 352 691 12 97 76
Service Kommunikatioun a Press . Service Communication et Presse
Äerzbistum Lëtzebuerg . Archevêché de Luxembourg

© Verschidde Rechter reservéiert . Certains droits réservés
Dateschutz . Protection des données
Ëmweltschutz . Protection de l'environnement
5 avenue Marie-Thérèse
Bâtiment H, 1er Étage
L-2132 Luxembourg
+352 44 74 34 01
com cathol.lu